METODOLOGIAS ATIVAS E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA:

invertendo a sala de aula em vista de uma aprendizagem significativa

  • Luiz Gustavo da Silva Bispo Andrade
  • Rodrigo Bozi Ferrete
Palavras-chave: Educação Profissional e Tecnológica, Metodologia ativa, Sala de aula invertida

Resumo

Este artigo versa sobre a importância das metodologias ativas de aprendizagem, especificamente a sala de aula invertida e como ela pode alterar no processo de ensino-aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. Nessa abordagem de ensino, também conhecida como Flipped Classroom o aluno tem contato com o conteúdo escolar antes de estar na sala de aula, transformando outros espaços físicos em lugares de conhecimento, incluindo as plataformas virtuais. Pautou-se numa pesquisa bibliográfica, na qual fizemos a articulação das ideias a partir de autores que tratam de metodologias ativas e inversão da sala de aula, como Moran (1995, 2007, 2013, 2015), Bacich (2015, 2018), Christensen; Horn; Staker (2013) e Valente (2014). Tratando de bases conceituais da Educação Profissional e Tecnológica, autores como Barato (2008), Ciavatta (2005, 2010), Frigotto (2005, 2010) e Ramos (2005, 2010, 2017). Teóricos como Dewey (1950), Rogers (1973) e Freire (2013), também enriquecem o trabalho por apontarem na direção de uma sociedade menos dominadora, enfatizando a importância de superar a educação centrada no professor, estritamente tradicional, reforçando a necessidade de um diálogo com o alunado, trazendo liberdade a esse processo. A busca por instrumentos educacionais eficientes, os quais objetivam introduzir dinamismo e ao mesmo tempo qualidade na transmissão de conhecimento, enfatiza a importância das metodologias ativas no mundo moderno, e baseando-se nessa premissa, propomos esse artigo. Através desse trabalho, estudamos a influência das TDICs (Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação) e como o processo de ensino-aprendizagem pode ser modificado a partir delas.

Publicado
2019-12-15