Isótopos estáveis de oxigênio e carbono em anéis de crescimento: Uma comparação entre diferentes tempos de reação para obtenção de alfa-celulose

Autores

  • Ana Claudia Gama Batista Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (CENA/USP)
  • Isabela Maria Souza Silva Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (CENA/USP)
  • Maria Gabriella da Silva Araújo Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (CENA/USP)
  • Luiz Antonio Martinelli Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (CENA/USP)

DOI:

https://doi.org/10.36524/ric.v9i3.2165

Palavras-chave:

Química da Madeira, Isótopo Estável δ13C, Isótopo Estável δ18O, Anéis de Crescimento

Resumo

Os isótopos δ18O e δ13C são indicadores geoclimáticos e ambientais e estão sendo empregados como ferramenta de rastreamento de madeira. Há inúmeras metodologias para obtenção da celulose, que é o material utilizado para análise isotópica de material lenhoso, contudo, os tempos de extração são muito longos deixando o processo analítico demorado e, em alguns casos, inviáveis. Temos como objetivo comparar diferentes tempos de extração e se eles irão interferir no sinal isotópico para carbono e oxigênio. Foram realizados 4 procedimentos para obtenção da celulose, em diferentes tempos, de 48 e 6 horas, para remoção dos extrativos. A primeira etapa consiste no processo de remoção dos extrativos na sequência (1) álcool/ tolueno (1:1), (2) álcool, (3) acetona e (4) água. O processo de deslignificação foi realizado em duas sequencias, com (1) clorito e ácido acético glacial por 6 horas e (2) clorito de sódio por 1 hora. As hemiceluloses foram removidas com solução de hidróxido de sódio a 17% de 1 horas com três repetições a α – celulose foi obtida em solução ácida de ácido acético glacial a 10% e, ao final do tratamento, as amostras foram secas em estufas a 70°C por 2 horas. Para análises isotópicas, as amostras foram secas e pesas, sendo submetida ao espectrômetro de massa para análise da razão isotópica de 18O/16O e 13C/12C. Os resultados sugerem uma tendência que o tempo de remoção dos extrativos presentes na madeira interferem na leitura do sinal isotópico do δ18O, o que não foi observado para δ13C.

Isótopos estáveis de oxigênio e carbono em anéis de crescimento: Uma comparação entre diferentes tempos de reação para obtenção da α-celulose

Downloads

Publicado

07-10-2023

Edição

Seção

Ciências Agrárias e Meio Ambiente

Como Citar

Isótopos estáveis de oxigênio e carbono em anéis de crescimento: Uma comparação entre diferentes tempos de reação para obtenção de alfa-celulose . (2023). Revista Ifes Ciência , 9(3), 01-18. https://doi.org/10.36524/ric.v9i3.2165

Artigos Semelhantes

1-10 de 370

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.