AVALIAÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE TINTURAS DE Plantago sp, Schinus terebinthifolius Raddi, Mikania glomerata Sprengel e Mentha sp CULTIVADAS EM DIFERENTES REGIÕES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

Autores

  • Larissa Silva de Souza
  • Polianna da Silva Ferreira
  • Ricardo Machado Kuster
  • Hildegardo Seibert França Instituto Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.36524/ric.v6i2.571

Palavras-chave:

tansagem; aroeira; guaco; menta; chemical analysis

Resumo

As plantas Plantago sp, Schinus terebinthifolius, Mikania glomerata e Mentha sp são listadas pela RENISUS com interesse de inseri-las como recursos terapêuticos para a população. Assim, o objetivo do presente estudo foi realizar análises químicas que identifiquem os principais metabólitos secundários e avaliar a atividade antioxidante de tinturas etanólicas dessas plantas coletadas em diferentes localidades do Espírito Santo. As tinturas etanólicas foram obtidas em uma proporção de 10% (m/v) pelo método de maceração. Para a caracterização química das tinturas foi utilizada a técnica de cromatografia em camada delgada (CCD) com respectiva fase móvel para cada classe de marcadores químicos das plantas estudadas, onde as placas foram visualizadas com reveladores químicos e físicos. As tinturas também foram caracterizadas por Espectrometria de Massas de Alta Resolução, utilizando a fonte de ionização Eletrospray em modo negativo (ESI(-) FT-ICR-MS). Por fim, a atividade antioxidante foi determinada pelo método DPPH. As análises cromatográficas e espectrométricas exibiram evidências de compostos fenólicos e terpênicos em todas as tinturas. Alguns íons [M-H]- característicos foram identificados por ESI(-), como o de m/z 301,21741 (ácido caurenoico) para o guaco, de m/z 455,35307 (ácido ursólico) para a tansagem e, m/z 359,07724 (ácido rosmarínico) para a Mentha. Pela reação com o radical DPPH, todas as plantas apresentaram ação antioxidante, destacando as tinturas de guaco e tansagem com valores acima de 90% e 80%, respectivamente, próximos ao do padrão antioxidante ácido ascórbico. Logo, este estudo evidencia a presença de compostos fenólicos e marcadores químicos em plantas amplamente utilizadas pela medicina popular, destacando seu potencial antioxidante.

Downloads

Publicado

2020-08-28

Como Citar

de Souza, L. S., Ferreira, P. da S., Kuster, R. M. ., & Hildegardo Seibert França. (2020). AVALIAÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE TINTURAS DE Plantago sp, Schinus terebinthifolius Raddi, Mikania glomerata Sprengel e Mentha sp CULTIVADAS EM DIFERENTES REGIÕES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Revista Ifes Ciência , 6(2), 228-241. https://doi.org/10.36524/ric.v6i2.571