RESTAURAÇÃO FLORESTAL DE UMA ÁREA DE VEGETAÇÃO RIPÁRIA NO SÍTIO PAMPULHA, MUNICÍPIO DE LINHARES, ES

  • Letícia Boina Cau
Palavras-chave: vegetação ciliar, áreas degradadas, recuperação, PRAD

Resumo

A vegetação ciliar é essencial para qualidade e manutenção do curso hídrico, sendo considerada como Área de Preservação Permanente - APP conforme a Lei nº 12651/12, do Código Florestal. As matas ciliares, também especificadas por florestas ripárias, fornecem matéria orgânica e criam microhábitats dentro dos cursos d’água além de influenciarem na qualidade da água e proteção das margens reduzindo o assoreamento, protegem espécies da flora e fauna. Essas áreas, uma vez preservadas ou recuperadas, ao longo de todos os cursos d’água, são de grande importância, pois podem interligam fragmentos florestais ainda existentes. O Sítio Pampulha em Linhares/ ES, objeto deste estudo, possui uma barragem no curso hídrico e devido à ausência de vegetação e consequente comprometimento da preservação permanente em sua área, foi proposto para a propriedade a elaboração de um Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD). O estudo visa apresentar diretrizes para elaboração de PRAD e restauração vegetal da área afetada, apresentando uma proposta metodológica de recuperação da área degradada considerando a descrição das fitofisionomias existentes no entorno das áreas de interesse bem como listar as espécies a serem utilizadas na recomposição da vegetação. Assim, com a implantação do PRAD e seu acompanhamento espera-se obter a restauração florestal do ambiente ciliar, proporcionando a recuperação do curso hídrico e sua manutenção, estabelecendo uma interligação da floresta existente com a nova vegetação.

Publicado
2019-12-23
Como Citar
Boina Cau, L. (2019). RESTAURAÇÃO FLORESTAL DE UMA ÁREA DE VEGETAÇÃO RIPÁRIA NO SÍTIO PAMPULHA, MUNICÍPIO DE LINHARES, ES. Revista Ifes Ciência , 5(2), 39-62. https://doi.org/10.36524/ric.v5i2.448