MODELAGEM MATEMÁTICA E FORMAÇÃO SOCIAL DA MENTE: PERSPECTIVAS DE MÚTUO POTENCIAL

Autores

  • Maria Alice Veiga Ferreira de Souza Instituto Federal do Espírito Santo
  • Oscar Luiz Teixeira de Rezende Instituto Federal do Espírito Santo
  • Luciano Lessa Lorenzoni Instituto Federal do Espírito Santo
  • Camila Maria Dias Pagung Instituto Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.36524/dect.v7i02.201

Palavras-chave:

Modelagem matemática, Formação social, Mente, Sociointeracionismo, Ciclo da modelagem

Resumo

A Modelagem Matemática se apresenta como uma via de aprendizagem de objetos matemáticos a partir de ações educacionais que favoreçam a construção de conhecimento pelo aluno de maneira ativa, dialogada e que valoriza e requer a bagagem histórica discente para a estruturação do saber. Para além desse benefício, há outras vantagens silenciosas e menos evidentes, mas de relevo, que devem ser consideradas nessa ação educacional por docentes que, por sua vez, devem se preocupar não apenas com o que seus alunos aprendem, mas, igualmente, com as influências decorrentes sobre a formação social dessas mentes. Esse ensaio discute o potencial educacional da Matemática como modelo de mediação à luz da teoria sociointeracionista de Vigotski e do ciclo de modelagem matemática de Blum e Leiβ para a modelagem social de mentes.

Publicado

2019-10-11

Como Citar

Veiga Ferreira de Souza, M. A., Teixeira de Rezende, O. L., Lessa Lorenzoni, L., & Dias Pagung, C. M. (2019). MODELAGEM MATEMÁTICA E FORMAÇÃO SOCIAL DA MENTE: PERSPECTIVAS DE MÚTUO POTENCIAL. Revista Eletrônica Debates Em Educação Científica E Tecnológica, 7(02), 144-161. https://doi.org/10.36524/dect.v7i02.201

Edição

Seção

Artigos