O ANTIDIÁLOGO ENTRE A FORMAÇÃO TECNOCIENTÍFICA E A HUMANÍSTICA NA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Autores

  • Gisandro Cunha Ilha Universidade Federal de Santa Maria
  • Cristiane Muenchen Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.36524/dect.v7i03.208

Palavras-chave:

Tecnociência, Humanidades, Antidiálogo

Resumo

Neste artigo, a partir de uma entrevista semiestruturada com alguns docentes de um curso superior de tecnologia em gestão ambiental, emergiram três categorias que permitiram caracterizar o que se chamou de antidiálogo entre a formação tecnocientífica e a humanística na Educação Tecnológica. Utilizando-se a Análise Textual Discursiva como recurso metodológico, apoiando-se a análise na articulação dos referenciais Freire/CTS que, dentre outros propósitos, reivindicam a participação social nas questões que concernem aos rumos da sociedade, buscou-se problematizar a fala dos docentes em relação aos seus quefazeres. A análise de alguns fatores emergidos neste estudo permitiram caracterizar o antidiálogo, destacando-se: a assunção de serem cursos transitórios e de demanda específica - voltados à preparação de mão-de-obra - com reflexos na estrutura curricular dos mesmos, além da sua incipiente inserção na comunidade regional.

Publicado

2019-10-12

Como Citar

Cunha Ilha, G., & Muenchen, C. (2019). O ANTIDIÁLOGO ENTRE A FORMAÇÃO TECNOCIENTÍFICA E A HUMANÍSTICA NA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Revista Eletrônica Debates Em Educação Científica E Tecnológica, 7(03), 94-116. https://doi.org/10.36524/dect.v7i03.208

Edição

Seção

Artigos