ARGUMENTAÇÃO CIENTÍFICA COMO FERRAMENTA CULTURAL NA FORMAÇÃO INICIAL DOCENTE

Autores

  • Jackson Gois UNESP
  • Luciana Delucia

DOI:

https://doi.org/10.36524/dect.v12i1.1674

Palavras-chave:

Formação inicial docente, argumentação científica, abordagem sociocultural, ensino de química

Resumo

A argumentação científica é um importante saber docente na formação inicial de professores de química. Neste artigo apresentamos dados coletados com licenciandos em química de uma universidade pública do interior do estado de São Paulo que mostram importantes aspectos sobre a elaboração de significados com a argumentação científica. Os dados foram obtidos por meio de questionário e entrevistas com os participantes um ano após entrarem em contato com o tema e antes de sua retomada e aplicação nos estágios curriculares supervisionados. Organizamos os dados com base na Análise Textual Discursiva (ATD) utilizando como categorias a priori as concepções de Toulmin (TAP). Na análise dos resultados, partimos das concepções socioculturais de domínio de ferramentas culturais. Os dados evidenciaram a possibilidade de os licenciandos apresentarem domínio da TAP na resolução de atividades teóricas argumentativas e, ao mesmo tempo, não manifestarem domínio dos aspectos teóricos da TAP. Nossos dados também confirmam outros elementos já presentes na literatura, como a importância de a TAP estar ligada a conteúdos científicos e também a melhoria dos resultados quando estudantes elaboram de forma oral seus argumentos em comparação aos argumentos por escrito.

Downloads

Publicado

2022-08-25

Como Citar

Gois, J., & Delucia, L. (2022). ARGUMENTAÇÃO CIENTÍFICA COMO FERRAMENTA CULTURAL NA FORMAÇÃO INICIAL DOCENTE. Revista Eletrônica Debates Em Educação Científica E Tecnológica, 12(1). https://doi.org/10.36524/dect.v12i1.1674

Edição

Seção

Artigos